quarta-feira, 6 de setembro de 2017

SUBMISSÃO DE TARÓLOGOS A CRITÉRIOS DESPROPORCIONAIS DE CLIENTES

Todo mundo tem que ter critérios quando se trata de escolher um profissional esotérico. Mas há clientes que passam a exagerar nas escolhas a ponto de perder muitas oportunidades de encontrar bons profissionais. Veja se você como cliente ou futuro cliente, não está excedendo nessa parte, mesmo inconscientemente.

Por outro lado, tarólogos que se submetem a tantas exigências, tendem a correr o risco de anular-se e com isso seu trabalho tornar-se superficial, medíocre (sem característica propria) e com sobrecargas inúteis. 
Veja abaixo as características principais de clientes que exageram nos seus critérios para escolha de profissionais esotéricos: 




Cliente que escolhe ou deixa de escolher um profissional esotérico pelas roupas que ele usa: 

Há pessoas que quando veem que o tarólogo/cartomante se veste com roupas ciganas, ornamentos específicos e maquiagem forte, já imaginam que sejam mais qualificados que outros que não usam, ou ao contrário, que julgam ser todos charlatães; e há clientes que quando veem um tarólogo que usa roupas comuns, já imaginam que não é eficiente ou vice-versa.  Vestir ou não com roupas específicas não vai fazer nenhuma diferença quanto à eficiência, apenas um gosto por parte do profissional desde que ele também tenha condições (no caso de roupas específicas). Escolher um profissional esotérico com base nas roupas que ele usa, demonstra total falta de conhecimento. Tarólogos/cartomantes porém que se sujeitam a usar roupas específicas, mesmo não gostando ou deixando de usar as que gosta só para agradar  clientes e sem condições, no mínimo estão se desrespeitando.

Cliente que escolhe um tarólogo/cartomante pelo que ele só prediz algo de bom ou diz exatamente aquilo que ele quer ouvir:


Muitos cartomantes/tarólogos costumam dar uma "dourada na pílula" apenas para poder impressionar o consulente, e claro que a  maioria consegue, visto que as pessoas só querem ouvir o lado bom das questões ou o que elas querem ouvir. Às vezes calha de sair o que o cliente quer escutar, mas acontece com muito mais frequência o que elas não querem nem ao menos prestar atenção, quanto menos ouvir o que as cartas estão dizendo. Quem costuma escolher um tarólogo só pelo que ele diz e hipervaloriza-o fazendo dele seu único consultor e assim fidelizando-o deve tomar o máximo de cuidado, porque mesmo que o tarólogo seja realmente honesto e diga o que o cliente quer ouvir, a fidelidade absoluta e a hipervalorização de qualquer profissional além de não dar a chance de conhecer outros, uma hora tende a mudar, pois ninguém é melhor que ninguém. Todo mundo tem erros e acertos e se você adorou seu profissional hoje, amanhã poderá ser diferente devido à grande expectativa. O maior desafio da fidelidade exagerada é ter de enfrentar a dura realidade de que nada permanece; assim sendo, se o profissional vier a falecer ou abandonar a atividade, ou até mesmo mudar seu jeito de trabalhar, já terminará aquela emoção inicial e a frustração será inevitável. Por isso não dependa exclusivamente de um tarólogo evitando assim uma fidelidade absoluta. Se somente um tarólogo fosse eficiente, não existiriam centenas de milhares de tarólogos por aí. A vida é feita de mudanças, dinamismo e diversidade. E nunca despreze nenhum profissional duvidando da sua eficiência só porque leu as cartas do jeito que você não queria. 

Cliente que escolhe um tarólogo só por ele ser famoso ou muito popular: 

Muitas pessoas desprezam tarólogos iniciantes na profissão  (mas que praticou gratuitamente por vários anos e ninguém mais ficou sabendo) supondo ser menos eficientes preferindo aqueles que já têm fama ou popularidade  porque acham que serão melhores. Ledo engano! Tarólogos antigos e famosos também erram e talvez muito mais vezes do que os com menos tempo de profissão, pelo fato inclusive de muitos confiarem demais nos seus próprios trabalhos pelos muitos anos de experiência ou por serem grandemente queridos pela maioria. Como já conquistaram o seu espaço, sua vida financeira e principalmente o seu público dificilmente se preocupam com seu desempenho considerado excelente perante clientes, com exceção daqueles (que por sinal são a minoria) que mesmo sendo famosos ou muito populares e antigos, continuam humildes. A falta de humildade desses profissionais de assumirem que também podem errar, fazem com que a excessiva confiança em si traiam, cedo ou tarde, suas expectativas. Iniciantes na profissão e sem popularidade já costumam tomar o máximo de precaução para que erros na interpretação das cartas ocorram o menos possível. A cautela, a preocupação e a humildade fazem uma grande diferença! Por outro lado há tarólogos que fazem de tudo para chegarem à fama  a custo de sacrifícios inúteis e altamente perigosos. Cada profissional tem seus méritos (que precisam ser espontâneos) mas nenhum é mais que o outro, apenas diferentes.

Cliente que escolhe um tarólogo pelo valor que ele cobra muito abaixo da média ou só faz consultas gratuitas: 

Claro que isso tanto beneficia o consulente quanto o tarólogo,  especialmente se ele tem pouco tempo de profissão ou acabou de iniciar profissionalmente. Mas escolher sempre e só tarólogos que cobram esses valores ou mesmo os que fazem consultas gratuitamente não é o recomendado, principalmente os que não cobram nada. Isso porque na vida, por mais que aparente, na verdade nada é de graça. Tudo não passa de uma reciprocidade, pois se não  tem o dinheiro para pagar, alguma coisa em troca a pessoa que recebe, deveria dar. Tarólogos que sorteiam consultas gratuitas ou fazem previsões da semana, do dia ou mês coletivamente ou ainda fazem vídeos ao vivo para atender algumas pessoas sem exigir custo, na verdade,  estão querendo que conheçam o seu trabalho (isso quando estão bem intencionados) ou estão sentindo que receberam mais do que deviam e estão querendo equilibrar a "balança" que a própria vida impõe. Se as pessoas que recebem consultas  de graça e não dão nenhum retorno, uma hora terão prejuízo de alguma forma. Até mesmo o próprio tarólogo que doa sem equilíbrio, uma hora estará se prejudicando, pois se dá a entender para o Universo de que ele já está querendo dispor do seu trabalho ou sustento e algo lhe é tirado cedo ou mais tarde, principalmente se a intenção dele for exatamente a de poder concorrer  com os outros tarólogos. Por isso que muitas pessoas não sabem porque a vida não vai para frente. Até recebem muito bem, mas não conseguem usufruir, pois ou adoecem e tendem a gastar com seus tratamentos ou não conseguem parar de fazer dívidas e conseguir pagá-las, enquanto que outros que cobram o justo e só fazem consultas gratuitas com equilíbrio quando realmente se sentem de fazer e sem a pretensão de querer ser mais que os colegas, estão prósperos e satisfeitos, mesmo ganhando bem menos. A qualidade sobrepõe a quantidade. Por isso não deixem de retribuir o que recebem e nem doem mais que o necessário. Caridade não pode ser obrigatória e nem para mostrar aos outros que faz, mas sim quando realmente se sente de fazer ou for realmente necessário para se obter um mínimo de equilíbrio.

Cliente que só escolhe um tarólogo que faça consultas presenciais ou por vídeo câmera:

Nos tempos atuais as consultas presenciais estão cada vez mais raras devido à internet e a facilidade  de comunicação à distância.  Se uma pessoa mora longe, não tem espaço disponível na casa ou moradores que não gostam de que sua privacidade fique comprometida e tiver uma boa conexão de internet, a única saída, sem dúvida é a consulta à distância que tanto pode ser realizada através de email, pelo whatsapp (chat e áudio), skype ou messenger numa rede social. Mas alguns clientes insistem em afirmar que não é a mesma coisa como se o tarólogo fosse responder diferente se fosse pessoalmente ou por câmera que muitas vezes o consultor não tem condição. Cliente que exige que um profissional atenda do jeito que ele quer, certamente não está precisando de uma consulta mas de outra coisa (no mínimo uma especulação ardilosa). Tanto uma consulta presencial quanto à distância, todos sabem (ou deveriam saber) que funciona do mesmo jeito, sem exceção alguma. Pagar uma consulta pela internet não constitui nenhum risco, principalmente quando o cliente já obteve dados de contato do tarólogo e ele já demonstrou ser confiável. E se tantas pessoas compram produtos em lojas virtuais e conseguem esperar seus produtos chegarem com paciência, também têm condições de esperar (e por algumas horas apenas),de ter sua consulta realizada. Por que então tantas pessoas que confiam e nem hesitam em comprar produtos  em lojas virtuais (sabendo que além da espera, poderão ter  riscos do produto não servir e nem ter mais no estoque no caso de troca)  não podem confiar nos serviços esotéricos à distância? Onde está a diferença? Certamente na submissão de muitos tarólogos que acabam cedendo aos caprichos de clientes que ficam mal acostumados. Se não tiver quem se sujeita, não haverá  quem exija. Donos de lojas virtuais não querem saber se o cliente acha melhor comprar numa loja física. Quer comprar na loja virtual, compre. Não quer, paciência, fique sem o produto.


Cliente que escolhe um tarólogo pela grande rapidez que ele responde suas perguntas ou várias pessoas num tempo só: 

Uma vez ou outra, dependendo da pergunta e da(s) carta(s) que sai(em) é natural uma resposta rápida. Mas tarólogos que sempre respondem com a máxima rapidez, desconfie. Muitas perguntas exigem o máximo de concentração e até uma certa lucidez, e responder sempre na ponta da língua não é normal, mesmo que se tenha  anos de experiência. A prática não dá essa liberdade também de responder várias pessoas num tempo só e com a máxima eficiência. No mínimo, a probabilidade de  falhas nesses casos é de 75%. Isso se explica devido ao cérebro só conseguir assimilar uma tarefa ou concentração eficiente em no máximo 1 hora. Após isso, é comum o estresse mental e emocional,  principalmente num trabalho como de um tarólogo que exige isso, não é nada incomum que respostas da pessoa anterior possam se misturar com as energias do tarólogo ou mesmo dessa pessoa anteriormente consultada. Clientes que exigem rapidez e respostas prontas não valorizam o profissional e consequentemente uma hora terão com certeza falhas em suas previsões. O mesmo se aplica ao tarólogo que para querer chamar a atenção de clientes dando respostas rápidas demais e para muita gente num espaço de tempo longo, começam a sentir suas energias se perderem a tal ponto de ocorrer um grande desequilíbrio energético/espiritual. Clientes precisam entender que dentro do tempo estipulado e com calma e concentração suas respostas virão com certeza, sem necessidade  de apressar nada. Tarólogos por sua vez também precisam saber impor limites tanto para com clientes exigentes quanto para com suas ambições desmedidas e ter um mínimo de consideração e respeito por seu trabalho. Quem não têm respeito por si próprio dificilmente terá com o próximo.

Cliente que só escolhe um tarólogo por suas especialidades mediúnicas específicas: 

É bom saber que todos, sem exceção, possuem mediunidade e sensitividade. A diferença está na intensidade e de como cada um as utiliza. Uns possuem mais e nem as utilizam, outros menos e utilizam com maior cuidado. Há ainda os que negligenciam e desenvolvem quando não deveriam desenvolver, e por aí vai. Mesmo os mais céticos que não aceitam que tenham, estes aliás podem ter em dobro. Todo tarólogo ético e profissional desenvolveu sua intuição pela exigência da própria profissão que não se pode limitar  apenas às técnicas das cartas (que também aliás é de suma importância). Sem usar a intuição com sensatez para interpretação das cartas, só a técnica porém, não basta.  Por isso de nada adianta um tarólogo ser vidente, ter o dom de prever o futuro e acertar quase tudo,  pois sempre uma hora a espiritualidade faz com que a pessoa falhe, ainda que seja muito dedicado. Isso é bastante comum e até compreensível, pois no mundo não existem pessoas perfeitas e as mudanças de ciclo fazem parte. Se todo vidente/médium acertasse tudo, não existiram problemas com respeito à dúvidas. E se existissem videntes/cartomantes/tarólogos totalmente assertivos, certamente essas pessoas seriam imortais ou consagradas e consequentemente, exclusivas. Lamentavelmente, muita gente se ilude quando um tarólogo diz que "sempre acerta nas previsões e descobre tudo o que a pessoa tem, o que acontece com ela e o que vai acontecer". Pessoas que prometem demais só estão querendo chamar a atenção e vender seu trabalho desonestamente. Não caiam nessas armadilhas, especialmente aqueles que afirmam que trará seu amor de volta em tantos dias. Acontecer, muitas vezes acontece, pois se trata de lidar com entidades poderosas para lidar com a pessoa que no momento está energicamente fragilizada, mas que tem sempre um final insatisfatório, muitas vezes, trágico  especialmente quando se força alguém a fazer o que ela não quer e forçar a barra só vai acumular problemas futuros. Então quando um cliente se depara com um profissional que não faz nenhum desses trabalhos ou que não chama a atenção porque não diz que é médium/sensitivo ou vidente, despreza e vai atrás daqueles que prometem milagres. Saiba que se um tarólogo considerado comum, não lhe disse nada que você quis ouvir,  nem mesmo aquele que é vidente, irá falar (ao menos a verdade), pois profissionais honestos só falam o que a espiritualidade deixa revelar. Nem tudo o cliente pode saber, principalmente no tempo que gostaria. E o que ele precisa saber certamente saberá,  independentemente do consultor ser ou não vidente. Nenhum profissional esotérico tem o poder de conhecer ou invadir a privacidade do cliente sem que a espiritualidade permita. E não será nenhum vidente "poderoso ou extraordinário" que irá revelar (principalmente a verdade). Portanto tanto faz você consultar um tarólogo que não diz que é médium (pois não tem necessidade de dizer que é) quanto aquele que se intitula como tal ou mesmo vidente. Todos, sem exceção estão no mesmo patamar.

Cliente que só escolhe um tarólogo pelo tipo de oráculo ou baralho que ele utiliza: 

Claro que muitas cartas chamam mesmo a atenção. São importadas, ricas em beleza.  Mas muita gente quer escolher um tarólogo que faz consultas com determinado tipo de baralho e até mesmo se forem importadas! É bom saber que as respostas, independentemente da escolha do baralho serão sempre as mesmas e muita gente desconhece esse fato ou não querem conhecer, achando que um tipo de baralho irá dar respostas diferentes. Então não despreze as outras cartas quando não tiver outra escolha nem despreze aquele tarólogo que só trabalha com cartas nacionais ou muito simples, embora bem conservadas. Não é todo tarólogo que tem condições de adquirir muitos tipos de baralhos, especialmente importados. Clientes que só aceitam consultar com tarólogos que possuem tais cartas, não estão com certeza precisando de uma consulta, mas de outras necessidades. E tarólogos que não têm essas condições e se endividam só para agradar seus clientes nessa parte, estão no mínimo com falta de bom senso e impraticidade.

Cliente que só escolhe um tarólogo pelo grande número de clientes que ele atende:  

Muitos sites por exemplo, fazem questão de colocar o número de clientes que atenderam para ressaltar aos clientes demonstrando preferência ou uma certa eficiência. Isso muitas vezes, não é real, pois o próprio sistema do site pode ter falhas na hora de um mesmo cliente tentar conectar ao site  por inúmeras vezes e o número de atendentes ser apenas aparente. É mais ou menos  quando um blog tem um certo número de visitas, isso não quer dizer que houve realmente tantas visitas, mas sim que teve inúmeras vezes que um mesmo leitor acessou o site e que nem mesmo conseguiu ler. Ter quantidades de clientes nem sempre significa que o tarólogo é  procurado por seu excelente trabalho. Apenas mais visto, por ter tido mais chances de divulgar seu trabalho. Não confunda eficiência de um tarólogo pelo número de pessoas que ele realmente ou  supostamente atendeu. 

Cliente que só escolhe um tarólogo pela avaliação positiva dele nas pesquisas:  

Claro que isso irá chamar mais a atenção de futuros clientes, como que um produto que se vende na internet e tem o maior número de avaliações positivas. Isso se torna um referencial. Mas tome muito cuidado! Pessoas não são produtos (e mesmo produtos que foram avaliados positivamente tiveram para muitos, uma surpresa nada agradável posteriormente e vice/versa). Muitas vezes, tarólogos fazem questão de chamar amigos e familiares para dar avaliações positivas a fim de chamarem a atenção ou ainda pagarem algumas pessoas só para avaliarem. Não se trata de nenhum erro desde que não haja desmerecimento por parte de quem pede,  nem também  subterfúgios, pois pagar alguém para fazer isso, é pretensioso demais. Forçar também alguém a avaliar é ridículo e um desrespeito ao próprio trabalho. Não faço nenhuma questão de que avaliem meu trabalho publicamente, mas se alguém o faz com certeza é de livre espontaneidade. O que mais o tarólogo precisa é ficar satisfeito com seu trabalho sem necessitar de avaliações arranjadas só para impressionar. Clientes que só confiam em supostas avaliações estão no mínimo priorizando a aparência e poderão ter surpresas nada agradáveis. Por outro lado, tarólogos que fazem questão de avaliações positivas, estão no mínimo subestimando seu trabalho e duvidando da sua competência.

Cliente que escolhe um tarólogo por ele possuir entidades ou guias espirituais: 

Profissionais não são entidades e não são obrigadas a responderem pelo tarólogo/cigano toda vez que vão consultar seus clientes. Portanto desconfie se o cartomante disser que sempre seus guias ou entidades respondem. Entidades quando são do bem preservam o livre arbítrio de quem faz consultas e nunca interferem direta  ou indiretamente na vida do consulente, visto também que tanto o consultor quanto o cliente têm suas competências e livre-escolha respectivamente. Tarólogos competentes e que costumam ter esse tipo de mediunidade, não podem depender exclusivamente de entidades ou guias para fazerem suas consultas, nem clientes acharem que por serem usados por entidades nunca terão falhas ou que terão as respostas sempre certas do que outros profissionais que não têm essa característica mediúnica. Há muita desinformação e ignorância nessa parte. Se o tarólogo que costuma receber entidades não estiver devidamente preparado poderá haver alguma interferência espiritual ou energética e acabar até prejudicando  o consulente. O mesmo se aplica para quem não recebe tais guias. Portanto, dá tudo na mesma. O que vai valer sempre é a competência de cada tarólogo e não se ele possui ou não guias ou entidades. 


Cliente que escolhe um tarólogo pela prática de rituais e magias que ele pratica:

Muitos tarólogos não costumam praticar rituais específicos e muito menos magias para solucionar determinado problema e com isso podem ser vistos por alguns clientes como pouco produtivos e menos eficientes pelo fato de não oferecer solução através de tais práticas. Saiba que cada tarólogo terá suas maneiras diferentes de fazer as coisas e não tendo nenhuma necessidade de certos rituais, pois se trata apenas de crença. Quanto à magia, aqueles que não praticam, terão outras ferramentas como terapias alternativas, orações, preces ou mesmo conselhos que se seguidos pelo consulente com precisão, servirão de ajuda da mesma maneira que magias. São apenas maneiras diferentes de auxílio, porém se o problema não tiver que ser solucionado naquele tempo ou da maneira como o cliente deseja, não será nenhuma magia por mais forte que aparente, que vá dar resultados e isso é um fato! Portanto não se iluda que magias ou trabalhos espirituais sempre trarão resultados benéficos, pois nada nem ninguém pode forçar o universo ou a vida a atender todos os desejos das pessoas e solucionar tudo. Alguns problemas  servem inclusive como lições de vida e nem sempre terão solução, principalmente a que a pessoa quer. Escolher um tarólogo só por ele possuir essa característica é querer no mínimo se iludir.


CONSELHOS IMPORTANTES PARA CLIENTES: 
Não seja exigente demais quando se tenha realmente necessidade.
Tente conhecer o maior número de trabalho de cada tarólogo sem se prender a nenhum em particular.
Não subestime um tarólogo só pela aparência, tempo de atividade mínima, pouca ou nenhuma popularidade e sem características eloquentes ou mediúnicas específicas.
Procure respeitar suas limitações, pois todo profissional esotérico pode errar independentemente de quem ele seja.
Não hipervalorize um tarólogo só por ele ter fama e grande popularidade ou dar a impressão de que ele sempre acerta nas previsões.
Quem subestima ou hipervaloriza um profissional estará plantando ignorância e certamente colherá cedo ou mais tarde arrependimento ou decepções. Lei da ação e reação.

CONSELHOS IMPORTANTES PARA PROFISSIONAIS ESOTÉRICOS EM GERAL:
Não se sujeite às exigências absurdas dos clientes só para não perdê-los. Só perdemos ou deixamos de ganhar clientes quando realmente não precisamos mais ou não fizerem nenhuma falta. Na vida, enquanto se perde de um lado, ganha-se do outro, especialmente quando se é justo.
Respeite seu trabalho e suas limitações.
Não busque a perfeição. Faça apenas o seu melhor.
Nunca se endivide ou gaste além do necessário só para causar maior boa impressão ou impacto aos clientes.
Não tenha medo de dizer "não" a quem quer que seja. Quando se diz "sim" aos outros sem estar realmente sentindo, está automaticamente negando a si próprio e dessa forma não pode contar consigo mesmo.
Dê mais tempo e espaço para você mesmo. Quem tiver pressa, que procure outro que se submeta às exigências dele. Quem não se valoriza, não pode valorizar ninguém.
Para quem possui características mediúnicas específicas, não dependa exclusivamente de seus guias ou entidades. Confie mais  em si.

 







MENSAGENS MAIS LIDAS