O QUE É O TAROT?

O tarô  é um oráculo que serve para revelar o que se oculta no nosso subconsciente, mostrando opções de melhores caminhos para solução dos problemas. Para mim, ele também é o espelho de nossas almas, servindo como um poderoso instrumento de grande ajuda em qualquer momento que estivermos atravessando. 
O tarô não é truque nem algo sobrenatural e miraculoso que vá transformar  qualquer situação da noite pro dia; ele só mostra a chave para com ela abrirmos as portas certas e nas horas certas, ou seja, nada mais que a própria resposta do nosso subconsciente que a consciência normalmente não está conseguindo enxergar; portanto ele nos dá a direção certa quando as dúvidas pairam ali, à nossa espera.
O tarô não é vidência, sendo assim o tarólogo não precisa ser vidente ou ter desenvolvido mediunidade nem pertencer obrigatoriamente a uma religião para se trabalhar com ele; o tarô não prevê futuros predeterminados como se fosse um destino sem volta, aliás, isto não existe em nenhum oráculo; tarô não serve para descobrir endereços de quem quer que seja, saber que time de um jogo irá ganhar ou qual político será eleito, também não serve para perguntas frívolas nem para probleminhas corriqueiros, ou seja, que qualquer um possa resolver. Se usarmos o oráculo para brincadeiras ele vai responder de acordo.
Com precisão, o tarô, assim como qualquer outro oráculo (I ching, baralho cigano, búzios, runas, cristalomancia etc) irão sempre responder perguntas que são coerentes com problemas realmente precisos e pessoais, como nas áreas de relacionamento amoroso, social ou familiar, áreas financeira e profissional, áreas da saúde e bem-estar,entre tantos outros que implicam dúvidas. Quero ressaltar porém, que na área da saúde, assim como outros oráculos,o tarô jamais dará diagnósticos de doenças nem receitará quaisquer tratamentos que substitua um médico por exemplo; ele só indicará se a saúde estará boa, ruim ou de gravidade média ficando a cargo do consulente procurar ajuda médica antes que um mal já existente se complique. O tarô também não interfere no livre arbítrio do consulente, apontando como disse desde o início, apenas caminhos; cabe ao consulente segui-los ou não, porém os resultados dependem do próprio consulente, mas acredito que se alguém procura algum conselho, certamente deve estar pronto para segui-los se quiser resolve-los.
Para se usar um oráculo como o tarô por exemplo, o tarólogo deve possuir ética e respeito para com o cliente explicando quando questionado, que não se deve querer saber da vida alheia, bem como querer saber se o companheiro está lhe traindo por exemplo, pois essas perguntas implicam falta de bom senso e não oferece solução dos problemas. Também não cabe ao tarólogo julgar o cliente pelas caracteristicas físicas, pessoais ou sociais bem como querer invadir a privacidade do mesmo, pois se isso acontecer poderá estar diante de um falso tarólogo ou charlatão.



Sem comentários:

Enviar um comentário

MENSAGENS MAIS LIDAS